• Quartel - Galeria Municipal de Arte

    Quartel - Galeria Municipal de Arte
    Exposição Temporária

  • Biblioteca Municipal António Botto

    Biblioteca Municipal António Botto
    Exposição Temporária

  • Museu Dom Lopo de Almeida

    Museu Dom Lopo de Almeida
    Exposição Temporária

  • Museu Metalúrgica Duarte Ferreira

    Museu Metalúrgica Duarte Ferreira
    Exposição

  • ParqueTejo - Turismo, ciência e lazer

    ParqueTejo
    Turismo, ciência e lazer

  • Museu Dom Lopo de Almeida

    Museu Dom Lopo de Almeida
    Exposição Temporária

  • Quartel - Galeria Municipal de Arte

    Quartel - Galeria Municipal de Arte
    Exposição Temporária

  • Biblioteca Municipal António Botto

    Biblioteca Municipal António Botto
    Exposição Temporária

  • Memorial da Forja

    Memorial da Forja
    Exposição

  • ParqueTejo - Turismo, ciência e lazer

    ParqueTejo
    Turismo, ciência e lazer

museus espaços culturais e expositivos

Biblioteca Municipal António Botto

Este espaço localiza-se numa parte do edifício do antigo Convento de S. Domingos, imóvel do século XVI. Projeto da autoria do Arq. Duarte Castel-Branco, a atual Biblioteca foi inaugurada em novembro de 1993, em homenagem ao poeta António Botto, nascido no concelho. É um espaço polivalente dispondo de múltiplos meios e suportes de informação. Alberga também diversas exposições temporárias. Aqui pode adquirir as publicações do Município.

 
Horário de funcionamento

Horário de Inverno: segunda-feira // 14:00 às 20:00 // terça a sexta-feira //09:00 às 20:00 // sábado //09:30 às 13:00

Horário de Verão: julho, agosto e setembro // segunda a sexta-feira // 09:30 às 13:00 | 14:30 às 18:00

Devido à situação pandémica o horário é o seguinte: terça a sexta-feira // 09:00 - 15:00.

 

Contatos

Convento de S. Domingos, 2200-343 Abrantes
T. 241 330 100 (tecla 6 + tecla 2 / renovações 2 + 1)
E. Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
W. www.bmab.cm-abrantes.pt

GPS: 39.460786N / 8.197786W


Coleção visitável da Cavalaria Portuguesa

No Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME), instalado no Quartel Militar de Abrantes, é possível visitar a exposição permanente “Memórias e Perspetivas da Cavalaria Portuguesa”, focalizada na Arma de Cavalaria do Exército Português. Reproduz alguns momentos e acontecimentos mais significativos da história militar portuguesa em geral e da cavalaria em particular, com início na pré-história e términus nas operações de paz internacionais. Os conteúdos organizam-se em treze capítulos, distribuídos no espaço e no tempo, segundo uma ordem cronológica que se inicia na pré-história e termina na participação da cavalaria portuguesa nas operações de paz internacionais.

 
Foi Salgueiro Maia que iniciou a recolha do material existente nesta coleção. Visitável todos os dias. Carece de marcação para visitar às sextas-feiras, fins-de-semana e feriados e para visitas guiadas.


Contatos

Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME)
Avenida de Aljubarrota – 2200-001 Abrantes
T 241 330 518
E Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

GPS:39.464824N / 8.215933W


Memorial A Forja

Memorial ao ar livre que mostra os utensílios utilizados na forja da Metalúrgica Duarte Ferreira, fazendo a reconstituição da oficina de Eduardo Duarte Ferreira. Importante marco que relata a história da MDF e, de certa forma, o desenvolvimento agrícola e industrial de Abrantes e do país. O Memorial da Forja está localizado na Vila do Tramagal, junto ao Jardim de Infância S. João de Deus. Foi inaugurado a 1 de Maio de 1980.
 
Através das vidraças que protegem o espólio e o mostram, podemos ver utensílios usados pelo fundador da Metalúrgica. Mostra-se a reconstituição da sua oficina de trabalho, contendo exemplos de instrumentos de arte, em ferro forjado. O memorial funciona também como uma justa homenagem aqueles que contribuíram para o nascimento da Metalúrgica Duarte Ferreira.

Museu D. Lopo de Almeida

Instalado desde 1 de Junho de 1921 no corpo da Igreja de St.ª Maria, no  Castelo de Abrantes, na altura ainda Quartel de Artilharia Nº 8, foi o sexto museu a ser criado no país e tinha a abrangente responsabilidade da categoria de Museu Regional. Passou a ser Museu Municipal, em 1994. No início da sua fundação, possuía, além do atual acervo de arte sacra, arqueologia, arte e etnografia, os mais importantes e antigos documentos sobre Abrantes, que viriam a dar origem ao atual Arquivo Histórico Municipal.

 

Foi alvo de remodelações em 2004, tendo patente ao público desde a sua reabertura, uma pequena exposição de arte sacra, onde se podem observar peças esculpidas em mármore ou calcário brando, entalhadas em madeira ou moldadas em terracota, que vão desde a época romana até ao século XVIII.

 

Para além do importante acervo apresentado ao público, o Museu beneficia do facto de estar instalado na Igreja de Stª Maria do Castelo, Panteão da Família Almeida, com toda a riqueza arquitetónica reconhecida ao monumento. 

Possui reservas e áreas de trabalho visitáveis por marcação.

 
O Museu apresenta anualmente duas exposições temporárias, uma apresentada ao público em Junho e outra em Dezembro. Desde 2009, a exposição inaugurada em Junho, sempre perto das comemorações do dia da cidade – 14 de Junho – pretende ser uma antevisão do que será o futuro MIAA (Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes), pelo que traz a público, o espólio das coleções do Museu D. Lopo de Almeida mas também dos outros acervos que constituirão o MIAA, como é o caso da Coleção Estrada e da coleção doada pela Pintora Maria Lucília Moita.


Horário de funcionamento

Horário de verão: de 3ª feira a domingo das 10:00-12:30 e 14:00-18:30
Horário de inverno: de 3ª feira a domingo das 09:00-13:00 e 14:00-17:00
Encerra às segundas e nos feriados de dia 1 de Janeiro, 1º de Maio, dia de Natal. 

Morada: Castelo de Abrantes

Por motivos de obras na Igreja de Santa Maria do castelo, a visita ao Museu D. Lopo de Almeida não será possível. Daremos oportunamente informação da sua reabertura ao público mas no entanto poderá visitar o Castelo/Fortaleza de 3ª a domingo das 09:30 às 18:00.


Contactos
Museu D. Lopo de Almeida 
Câmara Municipal de Abrantes
Praça Raimundo Soares
2200 – 366 Abrantes 
T. 241 371 724
E.  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.  
W. http://miaa.cm-abrantes.pt/


Museu Ibérico de Arqueologia e Arte

Este Museu, ainda em fase de projeto, ocupará o belíssimo espaço do Convento de S.Domingos, parcialmente recuperado para a instalação da Biblioteca Municipal António Botto. Considerado um projeto estruturante para Abrantes, irá albergar a coleção de arqueologia e arte municipal, guardada e valorizada atualmente no Museu Lopo de Almeida. A esta coleção Irá ajuntar-se, o espólio de pintura contemporânea da pintora Maria Lucília Moita e parte da Coleção Arqueológica Estrada, de propriedade da Fundação Ernesto Lourenço Estrada, Filhos.
 
Apesar de não ter ainda um espaço físico, o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes – MIAA,  conta já com 6 Antevisões com respetivos catálogos e 5 Jornadas Internacionais de estudo com respetivas atas. No site dedicado ao M.I.A.A. podem encontrar-se, entre outros motivos de interesse, os pdf das publicações e o calendário dos eventos e das participações da equipa do M.I.A.A. em congressos científicos em Portugal e no estrangeiro.
http://miaa.cm-abrantes.pt/

Museu Metalúrgica Duarte Ferreira

Este é um museu que resulta do querer de uma população e da parceria entre a Câmara Municipal de Abrantes, a Junta de Freguesia de Tramagal e o Grupo Diorama (detentor do edifício do antigo Escritório Principal da fábrica onde está implantado o museu e também de grande parte do seu espólio).

O Museu Metalúrgica Duarte Ferreira é inaugurado a 01 de maio de 2017, com um investimento de cerca de meio milhão de euros, cuja componente do fundo comunitário do Proder representa apenas uma pequena parcela de cerca de noventa mil euros. 


É um projeto que envolveu grande parte da comunidade - seja na doação de espólio, seja na partilha de estórias, seja na colaboração na identificação do acervo, seja de outras variadas formas.
Tudo isto faz deste um museu de território, com pretensão nacional e base na Nova Museologia, que visa preservar memória e o património – material e imaterial – legado pelo portento da metalurgia nacional do século XX, a Metalúrgica Duarte Ferreira.


É, portanto, um museu ao serviço da comunidade, das pessoas, com as pessoas e para as pessoas. 
Pretende ser um instrumento de desenvolvimento local, com a ambição de preencher o vazio identitário deixado pela extinção deste complexo industrial com vista ao estímulo do sentimento de pertença através da didática do património.

 
No dia 25 de maio de 2018 o Museu MDF recebeu o Prémio de Melhor Museu Português do Ano atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia e que neste ano teve a chancela do Sr. Presidente da República. Na cerimónia que decorreu no Museu dos Coches em Lisboa, o Museu MDF recebeu ainda uma Menção Honrosa, na categoria de Investigação, atribuído ao livro “Metalúrgica Duarte Ferreira 1879-1997 Uma História em Constante Metamorfose”, da autoria da jornalista Patrícia Fonseca.


No dia 11 de maio de 2019, na XIV Gala Antena Livre & Jornal de Abrantes, que distingue personalidades e instituições da região e do país, o Museu MDF foi reconhecido com o Galardão Cultura.


De 25 a 27 de setembro de 2019, o Museu MDF esteve presente em representação do Município de Abrantes e de Portugal, na Conferência The Best in Heritage 2019, evento organizado pela European Heritage Association, pela Europa Nostra e pelo ICOM (International Council of Museums), evento que reuniu em Dubrovnik (Croácia) uma criteriosa seleção dos melhores 300 projetos museológicos premiados em 2018, de todo o mundo. Num total de 42 apresentações, o Museu MDF de Tramagal foi apresentado numa das 28 conferências de projetos galardoados em todo o mundo (19 nacionalidades: Portugal, Estados Unidos, Polónia, China, Rússia, Holanda, Sérvia, Brasil, Itália, Reino Unido, Croácia, Finlândia, Japão, Estónia, Alemanha, Índia, França, Canadá e Estados Unidos da América).

 
Horário de Funcionamento
Encerrado durante os dias 16, 17 e 18 de setembro pelo motivo de filmagens no interior.
De quarta-feira a domingo das 10:00 às 12:30 e das 14:00 às 18:30
Encerra às Segundas, Terças e Feriados


Visitas Orientadas e Serviços Educativos
(marcação para  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. )


Contactos

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
www.cm-abrantes.pt
968 504 601
241 330 100 (Tecla 6 + Opção 3)


Morada
Rua Comendador Eduardo Duarte Ferreira nº 116
2205-697 Tramagal
Coordenadas GPS: 39º27’34.1’’N 8º14’51.5’’W


Veja aqui o vídeo de apresentação do Museu Metalúrgica Duarte Ferreira


Durante a situação de pandemia

Normas e regras para o utilizador/visitante 

Uso obrigatório de máscara.
Desinfeção das mãos à entrada e à saída.
Limite de número de pessoas por visita (máximo 4).
Em caso de famílias, serão permitidas no máximo 5 pessoas.
Proibido tocar nas vitrines e objetos expostos.

Horário de atendimento

2ª a 6ª, das 9:00h às 12:30h e das 14:00h às 17:30h mediante marcação prévia
Encerra sábado, domingo e feriados
Tel.: 968 504 601;
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Visitas virtuais: https://ths.li/crsbi4


 

Núcleo Museológico da Bemposta

Inaugurado em 2001, este núcleo encontra-se em exposição na sede do Grupo Folclórico e Etnográfico de Bemposta.Pretende retratar os finais do séc. XIX e inícios do século XX. O acervo deste núcleo é composto por indumentária, estando representados trajes domingueiros (festa) e de ceifeiros, sendo que depois dentro destes, existem os representativos de famílias mais abastadas e famílias mais pobres. A nível de utensílios, salientam-se as alfaias agrícolas, utensílios de cozinha, balanças, medidas de madeira, bilhas de azeite…
O próprio espaço em que se insere, pretende denotar alguma tipicidade, sendo que está numa das casas mais antigas da terra, onde todas as divisões são pequenas, com poucas janelas. Contudo, todas as divisões se encontram equipadas a rigor, como se estivesse habitada e se entrasse na casa onde alguém vive.
 
Além disso, nela está também representada a escola, pretendendo denotar a importância do ensino, bem como brinquedos de outros tempos.
Acesso gratuito, porém requer reserva prévia, através dos contatos do Grupo Folclórico e Etnográfico de Bemposta.
Em termos futuros, está previsto um novo espaço para a criação de um museu, onde estará presente este espólio.


Contactos
Grupo Folclórico e Etnográfico de Bemposta
Rua Professor Silva Leitão, nº26
2205 – 180 Bemposta ABT
E.: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
T. 968 064 014/ 969 696 604


Núcleo Museológico da Quinta das Sentieiras

 A funcionar desde 2013, num dos imóveis que tinha como ocupação um antigo estábulo, este núcleo reúne um espólio que retrata os ofícios e memórias da vivência desta Quinta. Tem em exposição alfaias agrícolas, desde o arado, separador de sementes, enfardadeira, o cabaço, a enxada ou sacho, a charrua, o arado, a grade foice, o forcado, o ancinho, a forquilha ou a gadanha.
 
Contactos

Quinta das Sentieiras

2200 Sentieiras/Abrantes
T 241 370 070
E Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
W http://www.quintadassentieiras.pt/museu_historia.html
GPS: 39º31’17.93’’ N / 8º11’47.77’’ W


Núcleo Museológico de Mouriscas

A Junta de freguesia de Mouriscas iniciou o processo de criação deste núcleo  em 1987. O espólio etnográfico é proveniente, sobretudo de cedências e empréstimos de particulares e é constituído por vestuário, instrumentos das atividades da freguesia e metrologia.
 
Das atividades locais, destaque para a produção cerâmica, a produção de capachos e tapetes do cairo, de fogo de artificio ou tecelagem manual. Atualmente, o público não tem acesso ao Núcleo.

Núcleo Museológico do Rossio ao Sul do Tejo

Este núcleo, situado na sacristia da Igreja de N.ª Sr.ª da Conceição, em Rossio ao Sul do Tejo, foi inaugurado em Dezembro de 2002, nascendo da “sensibilidade e do prazer da descoberta dos 173 anos da Paróquia do Rossio”. A visita à Igreja pode ser feita todos os dias. No entanto, para visita mais personalizada e acesso ao Núcleo Museológico, deve ser contactado o Centro Paroquial.
 
Contactos

Centro Paroquial do Rossio
Largo da Igreja
2205-013 Rossio

T. 241 333 493


ParqueTejo - Turismo, Ciência e lazer

Na margem sul do Aquapolis, em Rossio ao sul do Tejo, encontramos o ParqueTejo – Turismo, Ciência e Lazer, uma infraestrutura que resulta da requalificação e valorização ambiental do rio Tejo que visa o desenvolvimento de um conjunto de iniciativas que contribuam para a promoção e divulgação do Tejo em vários domínios, nomeadamente da divulgação científica, da interpretação ambiental, da exploração pedagógica, da animação recreativa e da promoção turística. Este espaço dispõe de um Centro de Interpretação do Tejo (CIT) composto por equipamentos multimédia que permitem uma exploração interativa, fazendo as delícias de miúdos e graúdos. De realçar o simulador interativo que permite recriar um voo virtual em zepelim ao longo do Rio Tejo, no seu percurso pelo concelho de Abrantes e por uma parede virtual que possibilita aceder a informação temática sobre diversos pontos de interesse do rio com conteúdos informativos focados na natureza, história e Cultura do Rio Tejo. O ParqueTejo recebe também Exposições temporárias de carater temático e periodicidade sazonal articuladas no âmbito do Plano de atividades anual. O Parque merece uma visita em família, mas com conteúdos que se revestem também de particular interesse para a comunidade escolar de vários ciclos de ensino. 

 
 Visitas orientadas e serviços educativos

Marcações Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Período de funcionamento/Horário

Aberto todo o ano.
De segunda-feira a domingo// das 09:00 às 20:00


Morada

Avenida Marginal do Tejo
Rossio ao Sul do Tejo
2205-003 Abrantes
T 241 105 324
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
GPS: 39°26'54.5"N 8°11'38.6"W (39.448465 -8.194052) 

 

Regulamento

 

Durante a situação de pandemia

Caravanistas:

Uso obrigatório de máscara em circulação no Parque.
Desinfeção das mãos à entrada e à saída.
Proibida a utilização do refeitório
Restrição nos balneários e WC (apenas 2 WC e 2 balneários)
Proibido o aluguer de bicicletas.
Proibição de tendas
Visitas ao CIT (apenas com marcação prévia)
Uso obrigatório de máscara.
Desinfeção das mãos à entrada e à saída.
Limite de número de pessoas por visita (máximo 3) sempre com a presença de um trabalhador do Parque.
Em caso de famílias, serão permitidas no máximo 6 pessoas.

Horário de atendimento 
Aberto todo o ano.

CIT – Centro de Interpretação do Tejo

De segunda-feira a domingo// das 10:00 às 18:00 mediante marcação prévia
Receção
De segunda-feira a domingo// das 09:00 às 20:00
Portaria
De segunda-feira a domingo// das 20:00 às 09:00
Tel.: 241 105 324
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.


Quartel da Arte Contemporânea – Coleção Figueiredo Ribeiro

A nova galeria municipal foi inaugurada no dia 31 de agosto de 2013, no edifício do antigo quartel dos bombeiros municipais. Veio substituir e dar continuidade à antiga galeria municipal que funcionou regularmente, durante 17 anos, junto à praça do município, com a função de divulgar a arte contemporânea e os artistas que a representam.

 

Em junho de 2016 a galeria tomou a designação de Quartel da Arte Contemporânea – Coleção Figueiredo Ribeiro, após a assinatura de um Contrato de Comodato entre a Câmara Municipal e o colecionador de arte contemporânea, Fernando Figueiredo Ribeiro. O espaço do Quartel passou a ser o palco de apresentação deste magnífico acervo que incluí mais de um milhar de obras dos nomes mais relevantes da arte portuguesa das últimas décadas e de muitos artistas emergentes.

Comporta três espaços distintos. Os pisos 0 e 1 como área de exposições e o piso -1 com destino à concretização de atividades diversas como expressão plástica, workshops e promoção/divulgação de pequenos eventos de caráter artístico, cultural e pedagógico. 

 
 Enquanto espaço arquitetónico e expositivo caracteriza-se pela flexibilidade e possibilidade de ordenação desse espaço. O uso da grande área ou a formação de pequenos espaços, delimitados por painéis amovíveis, permitem a cada exposição criar um novo espaço cénico capaz de mostrar um novo momento expositivo gerador de uma nova impressão estética.

 Mais informações aqui.  

Horário de funcionamento

3.ª a sáb: 10:00-12:30 / 14:00-18:30 / Encerra domingo, segunda e feriados
Encerrado temporariamente para mudança de exposição.


Contatos

Largo de Sant'Ana - 2200-348 Abrantes
T 241 331 408 / Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

GPS: 39.464286N / 8.200985W

 

Durante a situação de pandemia

Normas e regras para o utilizador/visitante

Visitante nas áreas expositivas:
Uso obrigatório de máscara.
Desinfeção das mãos à entrada e à saída.
Limite de número de pessoas por visita (máximo 4).
Em caso de famílias, serão permitidas no máximo 5 pessoas.
Proibido tocar nas vitrines e objetos expostos.

Horário de atendimento 

2ª a 6ª, das 10:00 às 16:00.
Encerra sábado, domingo e feriados


Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.